O Pão nosso de cada dia

O PÃO NOSSO DE CADA DIA



No último texto, falei sobre os altos e baixos da vida cristã e sobre a necessidade de buscar forças em Deus para sair do desânimo, da estagnação e levantar-se das quedas.

Vimos que a vida do discípulo pode ser comparada com uma corrida de longa distância, que, para ser completada, precisa de muita resistência física, e, para isso, o atleta precisa estar saudável.

Hoje, quero começar a refletir sobre como nós, atletas do Reino de Deus, nos preparamos para a maratona espiritual que precisaremos correr.

Não há duvidas de que, para ter um bom desempenho, o atleta precisa ter uma boa alimentação. Nem precisa ser atleta para saber que, se não tivermos uma alimentação saudável, nosso corpo não funcionará bem. 

Na vida espiritual, funciona de forma similar. E nosso alimento é a Palavra de Deus. 

A Palavra de Deus é o próprio Jesus Cristo.

No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. 
(…)
Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade.
(João 1:1 e 1:14)

Ele disse:

"Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre". (João 6:51)

Da mesma forma que o alimento natural fortalece nosso corpo, o alimento espiritual, a Palavra de Deus, fortalece nossa alma. E precisamos disso para conseguir concluir a nossa maratona da fé.

Devemos ter fome da Palavra de Deus e nos alimentar dela. Essa foi a instrução do apóstolo Pedro, em sua primeira carta:

Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação. (1 Pedro 2:2)



Sabemos que não adianta comer um só dia, ainda que seja muita comida, e passar vários dias sem alimento. A capacidade de armazenamento de comida que nosso corpo tem é mínima. Por isso, quando podemos, nos alimentamos todos os dias, no mínimo 3 vezes ao dia.

Se com o nosso corpo funciona dessa forma, por que temos a mania de achar que não precisamos alimentar nossa vida espiritual com a mesma regularidade?

Muitos acreditam que é suficiente se abastecer de Deus nas reuniões de domingo e estarão abastecidos por toda a semana. Mas não há lógica alguma nisso. Você passaria uma semana sem comer? Seu corpo suportaria? 

Você já parou para pensar o que acontece com sua alma quando você passa vários dias sem alimentá-la com a Palavra de Deus?

É evidente que ela fica fraca. E, quando nossa alma está fraca, nossa carne acaba vencendo a luta contra o espírito, que acontece dentro de nós*.

Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. (Gálatas 5:17)

O espírito é perfeito, ele está pronto (Marcos 14:38) mas nossa alma (nossa mente, nossas vontades, nossas emoções) precisa ser renovada constantemente pela Palavra de Deus, para que o espírito vença a luta contra a carne e possamos experimentar o melhor de Deus para nós. É o que nos ensina o apóstolo Paulo no texto tão conhecido de sua carta aos Romanos: 

E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12:2)

Quando os hebreus caminharam pelo deserto durante aqueles 40 anos, Deus mandou, diariamente, o pão para alimentá-los. Moisés os advertiu de que não deveriam acumular aquele pão, pois Deus mandaria o suficiente para cada dia (Êxodo 16:19).

Esse texto é incrível, porque nos ensina a confiar na provisão diária de Deus em nossas vidas, e que não precisamos acumular riquezas e bens para termos segurança. A nossa confiança deve estar no Deus que tudo supre.

E há um aspecto espiritual também que podemos enxergar nesse texto, o qual se refere ao “maná espiritual” diário. Devemos enxergar que Deus nos dá a porção diária de fé, alegria, paz e todas as outras bênçãos espirituais e que precisamos alimentar nosso coração todos os dias, porque a porção diária supre apenas um dia. 

Isto explica porque homens e mulheres de Deus caem, cometem falhas graves ou enfraquecem na fé.

Precisamos entender que não conseguiremos nos manter constantes em nossa caminhada de fé se não tivermos consciência da nossa total dependência de Deus. Por isso, Jesus nos ensina na parábola da videira (João 15): assim como os ramos precisam estar enxertados na videira para terem vida e darem frutos, necessitamos estar ligados a Cristo, todos os dias, para sobrevivermos como cristãos verdadeiros. 

Quando nos achamos fortes, é um sinal de alerta. Devemos saber que somos fracos e que dependemos totalmente de Deus.




Como já disse em outros textos, passei por uma experiência muito difícil ao perder um filho, e só consegui prosseguir porque o Senhor me reergueu quando busquei n’Ele o refúgio e consolo para a minha dor. Quando comecei a buscar a Deus mais intensamente, a dor que eu estava sentindo foi dando lugar a uma sensação de paz. Eu ainda sofria, mas era diferente, porque eu me sentia totalmente amparada e fortalecida em Deus e Ele me supria diariamente da força que eu precisava para continuar.

Quando enfrentei essa situação e fiquei bem, voltei a sonhar e a ter alegria. Imaginei que nada mais poderia me abalar. Eu confesso que, no meu íntimo, pensei: “- Se eu consegui superar isso, eu consigo passar por qualquer dificuldade”.

E então, sou surpreendida, seis meses depois da morte do meu filho, com outra perda. Um aborto espontâneo poucos dias após a descoberta de uma nova gravidez. E eu reconheço, mais uma vez, o quanto careço da graça de Deus e como não consigo, sozinha, enfrentar as lutas que esta vida me trouxe e aquelas que ainda estão por vir.

Se eu não estiver bebendo na fonte de água viva todos os dias, se não saciar diariamente o meu coração com o pão vivo que desceu do céu, se não receber continuamente da seiva que vem da videira, dificilmente conseguirei concluir a corrida que me foi proposta pelo Senhor no dia em que me rendi a Ele.

Jesus respondeu: "Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’"(Mateus 4:4)

No próximo texto, continuaremos a refletir sobre esse tema, falando sobre outros aspectos que devemos considerar para que possamos concluir a nossa caminhada cristã.

Que a Palavra de Deus seja o alimento diário do meu e do teu coração!

Graça e paz de Jesus Cristo.

Bruna Monastirski.
Discípula de Cristo.


*Sobre a distinção entre espírito, alma e corpo, sugiro o estudo em texto e vídeo do Pr. Wendell Costa acerca do tema:

Blog do Pr. Wendell 
Canal no youtube







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?

A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho