A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho




Nos primeiros textos deste estudo, conhecemos os dois elementos principais da Parábola do Semeador: a semente e o solo. 

Vimos que, nesta parábola, a semente lançada é a Palavra de Deus e o solo é o coração humano

Compreendemos, ainda, que, como um solo, nosso coração pode receber qualquer tipo de semente, boa ou ruim, e produzir frutos conforme o que foi semeado.

Agora, vamos refletir sobre os tipos de solo isto é, sobre as diferentes condições do coração humano e como cada uma delas interfere na qualidade da colheita, ou seja,  no resultado da semeadura.

Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram.(Mateus 13:4)

Ao esclarecer o significado deste verso, disse Jesus: 

Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. (Mateus 13:19)

A mesma passagem, descrita no Evangelho de Lucas, traz outros detalhes importantes:

As que caíram à beira do caminho representam todos os que ouvem, mas então chega o Diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não venham a crer e não sejam salvos. (Lucas 8:11)

Por muito tempo meditando nessa parábola, tentei compreender porque Jesus compara aquele que ouve Sua Palavra e não entende com o terreno que fica à beira do caminho. Já li algumas coisas sobre isso. Algumas achei pertinentes, outras nem tanto, mas irei compartilhar aqui o que veio ao meu coração após meditar mais profundamente nesse texto.

Ao trazer esse importante ensino, Jesus usou imagens da vida cotidiana de seus ouvintes, para que, a partir daquelas imagens, verdades espirituais fossem aprendidas. Portanto, mesmo que saibamos o significado da parábola, após a explicação dada por Ele, se quisermos nos aprofundar no entendimento, devemos compreender o funcionamento dos elementos da natureza que Cristo usou na parábola.

Em princípio, interessante perceber que ao caírem à beira do caminho (ou junto do caminho, em outras traduções), as sementes não alcançaram seu objetivo

Imaginemos um lavrador, jogando grãos no solo previamente preparado para recebê-los e, durante seu trabalho, alguns deles caem fora das covas escavadas para o plantio.  É evidente que aqueles grãos que caíram fora das covas não terão potencial para se transformarem em plantas, ainda que estejam próximos às covas preparadas pelo lavrador.


Assim, se a semente cai no lugar errado, ela sequer penetra a terra, pois, para que isso aconteça, o solo precisa estar preparado com pequenas cavidades, que receberão a semente e, em seguida, o lavrador cobrirá as covas com mais terra, de modo que as sementes fiquem protegidas.

Na parábola estudada, Jesus afirma que as sementes que caem à beira do caminho não penetram no solo e são comidas pelas aves. E ele compara esse tipo de solo àquelas pessoas que, ouvindo a Palavra (semente), não a entendem e, por isso, o diabo vem e arranca a palavra semeada.

A palavra traduzida como entender/entendem/entenderão, ao longo de toda a parábola do semeador, é a palavra grega "suniémi", que significa: chegar a um entendimento completo; reunir fatos ou ideias em um conjunto compreensível.  Esta é a mesma  palavra  utilizada no seguinte versículo do Evangelho de Lucas:

Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. (Lucas 24:45)

É a palavra usada, no grego koiné (grego popular da época de Jesus) para expressar um entendimento profundo e completo sobre algo, nesse caso, as verdades do Reino de Deus.

Em outro trecho da parábola, Jesus, ao citar o livro do profeta Isaías, explica porque muitos não entendiam sua mensagem:

Neles se cumpre a profecia de Isaías: ‘Ainda que estejam sempre ouvindo, vocês nunca entenderão; ainda que estejam sempre vendo, jamais perceberão. Pois o coração deste povo se tornou insensível; de má vontade ouviram com os seus ouvidos, e fecharam os seus olhos. Se assim não fosse, poderiam ver com os olhos, ouvir com os ouvidos, entender com o coração e converter-se, e eu os curaria’. (Mateus 13: 14-15).

Fica claro nessa passagem das Escrituras que muitos não entendiam a palavra semeada porque a ouviam de má vontade e com dureza de coração.

Diante das palavras de Jesus, compreendemos que o entendimento da Palavra é bloqueado em razão da insensibilidade do coração do homem, o que tem total relação com o solo que fica à beira do caminho, pois se trata de solo mais duro.

Ao atravessarmos uma estrada de terra com plantações de um lado e do outro, vemos que não nascem plantas à beira da estrada, onde a terra é mais dura, em razão da movimentação de carros, carroças, etc.


No coração duro, a palavra de Deus não entra, assim como, em terra batida, a semente não penetra. Neste tipo de coração, o processo de crescimento da palavra de Deus sequer se inicia, da mesma forma como a planta não nasce no solo que fica à beira do caminho.

A reação dos fariseus ao ministério de Jesus é um dos exemplos bíblicos da dureza de coração. Fundamentalistas religiosos daquela época, os fariseus não entenderam a mensagem trazida por Cristo, pois, como profetizou Isaías, ouviam mas não entendiam (suniémi), viam, porém não percebiam.

Presos demais às suas tradições religiosas e às suas próprias convicções a respeito do Messias prometido por Deus, o coração deles ficou endurecido para a realidade do Reino de Deus proclamada por Jesus e profetizada em todo o Velho Testamento, e, portanto, não acreditavam que Cristo era o Messias esperado.

A respeito deles, Jesus alertou:

Não deem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, os despedaçarão. (Mateus 7: 6)

Lançar a semente preciosa da Palavra de Deus no coração endurecido é comparado, por Jesus, a jogar pérolas aos porcos.

Por não compreenderem o valor da Palavra, pessoas com coração insensível terão por ela desprezo e desdém. Ouvirão de má vontade, como afirmou o profeta Isaías, e a palavra não entrará em seus corações.



No próximo texto, continuaremos a meditar sobre esse tipo de solo, apontando, à luz da Palavra, como devemos cuidar do solo do nosso coração, para que ele possa ser alcançado pela preciosa semente da Palavra de Deus.

Que a paz do Senhor Jesus seja com sua vida.

Até a próxima.

Bruna Monastirski.
Discípula de Cristo.

Comentários

  1. Muito rico mais gostaria de ter aceso as parte 4e5 e6 desse tema semeando a beira do caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Todas as partes estão disponíveis aqui no blog. Foi uma sequência de diversos textos.

      Excluir
    2. http://bruna.aguios.org/2017/11/a-parabola-do-semeador-parte-4-o-solo.html
      http://bruna.aguios.org/2017/12/a-parabola-do-semeador-o-solo-espinhoso.html

      Excluir
  2. muito esclarecedor esse ensinamento gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo feedback. Que Deus abençoe sua meditação na Palavra.

      Excluir
  3. Boa palavra,
    Gostaria de acesso a continuação da meditação sobre a semeador e a semente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada pelo feedback! O estudo completo está no blog. São vários textos, é só buscar por parábola do semeador que você encontra! Deus te abençoe!

      Excluir
  4. Maravilhoso ótima explicação Deus continue te abençoando

    ResponderExcluir
  5. Quero agradecer de todo coração a todos vcs tenho estudado e levado esses estudos aos nossos irmãos aqui em São Paulo e tem nos ajudando muito obg

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?