Tudo coopera para o meu bem?




No livro de Romanos, capítulo 8, há um verso que é muito conhecido no meio cristão: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28 ARA).

Observo que, parte das vezes, esse texto é dito como se fosse um amuleto da sorte: "todas as coisas cooperam para o meu bem...". Como uma fórmula mágica, por vezes utilizamos o texto sagrado para sentir a segurança de que tudo o que acontecer na minha vida sempre irá concorrer para o meu bem.

Mas algo curioso é que a leitura desse versículo é feita de maneira incompleta. Vejamos: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28 ARA).

Em outra versão, temos: "Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito" (Romanos 8:28 NVI).

Deus age em todas as coisas, de modo que elas concorram para o bem daqueles que O amam. Em outras palavras: se amarmos a Deus, Ele irá agir em todas as situações, de maneira que elas cooperem para o nosso bem.

Há uma condição aqui para que Deus aja em nosso favor: devemos amá-lo.

Mas, então, como saber se amamos a Deus? Será que nosso amor por Deus se traduz em palavras, ou em frequentar a igreja regularmente, ou, ainda, ao trabalho intenso em Sua obra?

Bem, você pode amar verdadeiramente a Deus e demonstrar isso também em palavras, indo aos cultos, missas, reuniões de células ou  e servindo voluntária e alegremente na obra do Senhor. No entanto, nenhuma dessas coisas demonstra, por si só, o amor a Deus.

Você sabe o que a Bíblia fala sobre o verdadeiro amor a Deus?

Na primeira carta do apóstolo João, encontramos as pistas para responder a essa pergunta.

"Porque nisto consiste o amor a Deus: obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados." (1 João 5:3 NVI)

Essa carta nos revela muito sobre o caráter de Deus e sobre o amor d'Ele por nós. É nesse livro do Novo Testamento que lemos: "Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor" (1 João 4:8 NVI)

Aprendemos, então, que o amor a Deus consiste em obedecer aos Seus mandamentos. Em sua segunda carta, o apóstolo João reitera:

"E este é o amor: que andemos em obediência aos seus mandamentos." (2 João 1:6a NVI).

Nosso amor a Deus deve se traduzir em um caráter obediente a Ele. De nada adianta dizermos palavras de amor a Deus, se essas palavras não refletem uma vida de compromisso com Deus e com a Sua justiça.

Surge, então, outra questão: que mandamentos são esses?

Quem responde é o próprio Cristo: "O meu mandamento é este: amem-se uns aos outros como eu os amei" (João 15:12 NVI). No verso 17 do mesmo capítulo, Jesus repete: "Este é o meu mandamento: amem-se uns aos outros" (João 15:17 NVI).

A Palavra de Deus destaca o nosso relacionamento com o semelhante e nos ensina que é através desse relacionamento que será revelado se, de fato, amamos a Deus ou se somos meros religiosos.  Nosso amor a Deus será provado através do nosso relacionamento com o próximo.

E não basta dizer que amamos. Nossos gestos devem demonstrar esse amor:  "Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade" (1 João 3:18 NVI).

O Evangelho não faz sentido se não mudamos nosso comportamento em relação ao outro. Não é evangelho se continuamos orgulhosos, rebeldes, ingratos, avarentos, insensíveis às dores dos outros.

Na primeira carta de João, lemos:"Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê" (1 João 4:20 NVI).



Jovens, vocês não amam verdadeiramente a Deus se desobedecem aos seus pais, ou os tratam mal, ou, ainda, se exigem deles um padrão de consumo que a renda da família não pode suportar. Não importa quantas vezes vocês frequentem as atividades da igreja durante a semana.

Maridos, vocês não amam a Deus, em verdade, se tratam com grosseria suas esposas e são agressivos com seus filhos, ainda que você seja "uma bênção" na igreja.

Mulheres, o amor de vocês por Deus é fingido se vocês desrespeitam seus maridos e negligenciam os cuidados com os filhos e o lar, independentemente do quão "frutífero" seja seu serviço na obra de Deus.

Acredito que é muito fácil "amar" a Deus, pois Ele é perfeito, santo, bondoso, e age sempre em amor. Amar as pessoas, por outro lado, não é nada fácil. É difícil amar gente imperfeita, pecadora, maldosa. Amar quem nos fere, quem é diferente de nós, quem age de forma desagradável aos nossos olhos, não é uma tarefa simples.

Para nós, pode parecer impossível, mas, para Deus, tudo é possível (Lucas 18:27 NVI). Só precisamos entender algo muito importante: não conseguiremos sozinhos! Não conseguirei amar meu inimigo ou orar por quem me persegue, se eu não estiver conectada a Deus, através de Jesus Cristo.

Na parábola da videira, Jesus explica isso de forma muito simples:

"'Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor.
Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda.
Vocês já estão limpos, pela palavra que lhes tenho falado.
Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim.
Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma'". (João 15:1-5 NVI)

Para amarmos com o amor de Deus, precisamos estar ligados a Ele através de Jesus. Ele é a videira, nós somos os ramos. Se permanecermos nele, seremos constantemente alimentados pela seiva da videira e daremos frutos, ou seja, obedeceremos aos seus mandamentos, agiremos em amor com o nosso próximo. Não podemos dar frutos de nós mesmos, pois dentro de nós existe ainda a tendência ao pecado e à desobediência (Romanos 7:18-23 NVI).

O espírito está pronto, mas a carne inclina-se ao pecado. O novo espírito que recebemos quando entregamos nossa vida a Jesus é perfeito, está pronto a fazer sempre a vontade de Deus. Mas, enquanto estivermos nesse corpo corruptível, a nossa carne tenderá a fazer escolhas que desagradam a Deus. Foi por isso que Jesus disse: "sem mim, nada podeis fazer" (João 15:5 ARA).

Somente através da fé em Jesus, passamos a ser morada do Espírito Santo e, por meio dele, podemos vencer a nossa própria natureza pecadora e andar como nosso Mestre andou.

 "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós."
(Romanos 8: 9a ARA)

Que o nosso Senhor nos ensine a amar em ação e em verdade!

Até a próxima!

Bruna Monastirski.
Discípula de Cristo.


*Créditos das imagens para Lebullon e Jesus Cartoons.












Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?

A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho