A Parábola do Semeador Parte 6: O solo fértil


Olá, pessoal!

O estudo sobre a Parábola do Semeador tem me feito perceber quanto a Palavra de Deus é rica em detalhes e em profundidade. Podemos nos debruçar sobre um pequeno texto e sermos muito edificados, se meditarmos nele pouco a pouco, associando-o a outros textos das Escrituras que o confirmem ou ampliem.

No texto de hoje, vamos conhecer o último tipo de solo citado por Jesus em sua narrativa: o solo fértil.

Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. (Mateus 13:8)

Vimos no início da parábola que "o semeador saiu a semear", ou seja, a Palavra de Deus, que é a semente, foi sendo divulgada. 

Uma parte da semente caiu em terra boa, isto é, fértil, e gerou uma colheita farta. Jesus ensina que o coração do homem pode ser comparado a este tipo de terreno:

E, finalmente, o que foi semeado em boa terra: este é aquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um. (Mateus 13:23)

O evangelista Lucas revela outros detalhes da explicação de Jesus:

Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança. (Lucas 8:15)

Já entendemos, nessa série de textos, o potencial que uma semente tem. De uma só semente, podem ser gerados muitos frutos, direta ou indiretamente. Isso é dito por Jesus ao falar sobre o solo fértil: deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. Em razão da capacidade produtiva do solo, a semente pode gerar uma colheita farta, e esta colheita pode ser variável.

Vejamos algumas características de um coração semelhante ao bom terreno.

OUVIR E ENTENDER A PALAVRA


Em outro texto desse estudo, já vimos que algumas pessoas ouvem a Palavra mas não a entendem. Elas são comparadas ao terreno que fica à beira do caminho. Vimos que muitos não compreendem a Palavra porque ouvem de má vontade, sem dar a devida importância, ou porque tem o coração endurecido pelo pecado, e assim, a semente lançada é roubada pelo inimigo das nossas almas.

Ao falar sobre o solo fértil, Jesus afirma que este corresponde àqueles que ouvem e retêm (entendem) a Palavra.

Para ouvir algo e entendê-lo, é preciso dedicar tempo e atenção ao que está sendo dito. Isso se aplica não só à Palavra de Deus, mas é uma característica do intelecto humano. Para apreendermos conteúdos na escola, precisamos dedicar atenção às aulas e também estudarmos o assunto em casa, para fixarmos aquela matéria em nossa mente.

Vocês já perceberam que as disciplinas que menos gostamos são aquelas nas quais tiramos as notas mais baixas?

Normalmente, quando não gostamos de uma disciplina, a tendência natural é que não dediquemos tempo a estudá-la, porque ela não nos interessa ou porque achamos o estudo dela enfadonho. Acabamos dedicando mais tempo às matérias que mais gostamos, porque nos dá uma sensação de prazer ler sobre algo que nos interessa.

Com o aprendizado da Palavra de Deus, é semelhante. Seremos terreno fértil para o crescimento da Palavra se a ouvirmos e entendermos. E, para entendê-la, é necessário dedicar atenção e tempo. Ouvir a Palavra de Deus considerando-a como algo valioso é o primeiro passo para que ela dê muitos frutos em nossa vida.

Observem que, no mundo físico, uma semente não dá frutos imediatamente. Demanda tempo para começarem a surgir os primeiros frutos.

No reino espiritual, a semente (Palavra de Deus) também não dá frutos de forma instantânea. É necessário tempo. Além disso, para crescer, ela não poderá encontrar os obstáculos que vemos no solo pedregoso e, para dar frutos com perfeição, ela precisará crescer em um terreno sem espinhos.

Quando somos ensinados sobre algum tema das Escrituras, é preciso tempo de meditação sobre o que foi ensinado, para que a semente "desça" até o nosso coração. Se ouvimos uma palavra na igreja e, ao voltarmos para casa, não meditamos sobre o que foi dito, é pouco provável que aquela Palavra dê frutos. Se, após ouvir uma Palavra edificante ao domingo, não pensarmos mais a respeito dela, passarmos a semana alimentando nosso coração com coisas que não edificam, a semente dificilmente dará frutos com perfeição.

Assim, para sermos solo fértil à Palavra de Deus, é necessário dedicar tempo para meditar no que lemos ou ouvimos sobre os ensinamentos de Cristo, para que possamos entendê-los e que eles passem a fazer parte de nossa vida.

DAR FRUTO COM PERSEVERANÇA


Ao estudarmos sobre o solo pedregoso, vimos que as pessoas que a ele se assemelham são aquelas que, nas primeiras provações, desistem da caminhada com Cristo. Ao contrário dessas pessoas, aquelas que têm o coração semelhante a um terreno fértil dão fruto com perseverança.

Segundo o dicionário, perseverança é "uma qualidade daquele que persiste, que tem constância nas suas ações e não desiste diante das dificuldades". Em diversas passagens da Bíblia, somos instruídos a ter perseverança (Hebreus 10:36, Lucas 21:19, Romanos 12:12). Uma dessas passagens explica claramente o que significa perseverar quando o assunto é a fé.

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança
E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. (Tiago 1:2-4)

Perseverar é persistir mesmo diante de dificuldades. O texto extraído da carta de Tiago diz que a perseverança é produzida em nós através das provações. É nos momentos de dificuldades que nossa fé será provada e aprovada. Nas adversidades, nossa fé é colocada à prova e, ao passarmos pela prova, teremos um caráter perseverante, ou seja, estaremos mais fortalecidos e prontos para enfrentar novas dificuldades sem desistir. Nesse processo, amadurecemos, porque a Palavra de Deus em nós também amadureceu e deu frutos, pois foi capaz de resistir às dificuldades e foi lhe dado o devido valor, superando os cuidados desta vida e outros espinhos que poderiam sufocá-la.

Assim, se nosso coração é terreno fértil para a Palavra do Senhor, devemos perseverar em dar frutos, isto é, devemos dar frutos por toda a vida. A vida cristã precisa ter constância. O crescimento deve ser gradativo e contínuo. Vejamos o que Jesus falou sobre isso no Evangelho de João:

Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome. (João 15:16)

Outro dia assisti a um vídeo  num canal cristão que sigo, que chamava atenção para a necessidade de conhecermos a Deus de forma gradativa, de crescermos na Sua Palavra progressivamente. Pois nada adianta darmos muitos frutos em um dado momento e depois, por algum motivo, desanimarmos e desistirmos da caminhada.


Vimos que, no terreno à beira do caminho, a Palavra tem dificuldade para penetrar no coração do homem. No solo pedregoso, a Palavra entra, porém encontra obstáculos e não resiste às tribulações e perseguições por causa da Palavra. No solo espinhoso, a Palavra entra, penetra, e começa a crescer, porém é sufocada pelos espinhos - cuidados deste mundo, ambição das riquezas e prazeres desta vida -  e não dá fruto com perfeição.

Quando nosso coração é solo fértil, a Palavra entra com facilidade e não encontra obstáculos em se enraizar, crescer e dar muitos frutos!

Na minha vida, vi isso acontecer em várias áreas. Quando fui ensinada sobre o perdão, por exemplo, me lembro de começar a exercitar com dificuldade aquilo que tinha aprendido. Quando era ofendida, mesmo estando magoada e com raiva de quem me ofendeu, eu orava e apresentava aquela situação a Deus, e declarava o perdão para aquela pessoa. Nas primeiras vezes em que fiz isso, achei que não funcionaria bem, que estava sendo algo mecânico e não ''de coração". Mas, com o tempo, vi que liberar o perdão aos outros trazia paz  ao meu coração e cura para minha alma.  Na verdade, esses ainda eram os primeiros frutos, pois a semente da palavra de Deus a respeito do perdão estava iniciando o  processo de crescimento no meu coração. Com o passar do tempo, aquela semente começou a criar raízes, crescer e dar frutos de maneira mais natural, de maneira que o exercício do perdão passou a ser cada dia menos difícil.

Ainda não é fácil perdoar quem me ofende e magoa. Mas hoje eu entendo que perdoar é um mandamento de Deus e que mesmo que ainda exista mágoa, é meu dever como cristã liberar o  perdão àqueles que me feriram, para que Deus também perdoe as minhas ofensas (João 20:23).

É importante entender que mesmo que seu coração seja solo fértil para a Palavra de Deus, você sempre estará em processo de crescimento. Algumas colheitas serão menos fartas, mas ao exercitar a Palavra, você dará cada vez mais frutos. Quanto mais maduros nos tornamos, mais natural será o processo de frutificação. É por isso que Jesus afirma, na parábola estudada, que o que foi semeado em boa terra, "dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um" (Mateus 13:23).

Para concluir, não posso deixar de falar sobre o fundamento para todas estas coisas. Não poderemos dar frutos por nós mesmos. Nada que façamos pode gerar frutos para o Reino de Deus se não estivermos conectados a Cristo. Ele é quem produz em nós um coração aberto à Palavra de Deus. Dele vem todo o poder que necessitamos para crescer e dar fruto com perseverança.

Foi o próprio Jesus quem falou sobre isso:

Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim.
Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.
(João 15:4-5)


Se você deseja dar muitos frutos, a primeira coisa a fazer é tornar Jesus o Senhor de sua vida. Sem Ele, nada podemos fazer. Tomada esta decisão, ore para seu coração seja transformado em solo fértil para o crescimento da Palavra de Deus. E comece a exercitar aquilo que você tem aprendido da Palavra de Deus. Mesmo que no início pareça difícil, não desista. Persevere! Deus é o principal interessado no seu crescimento e Ele irá te ajudar a superar todas as barreiras e dificuldades que surgirem em sua caminhada.

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
(Salmos 1:1-3)

Que a paz do Senhor seja com sua vida.

Até a próxima.

Bruna Monastirski.
Discípula de Cristo.
instagram @brunamonastirski






Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?

A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho