Saciando a sede da alma


Nos últimos textos, temos refletido sobre a vida cristã como uma grande corrida. Para concluirmos esta corrida, precisamos nos preparar, assim como um atleta se prepara para uma competição.

Já vimos a importância de estarmos bem alimentados, instruídos na Palavra de Deus, que é o nosso pão diário. Hoje vamos meditar um pouco sobre a importância da ação do Espírito Santo em nós durante nossa maratona espiritual.

No antigo testamento, havia a promessa de derramamento do Espírito Santo sobre toda a carne, assim como água em terra seca:

Pois derramarei água na terra sedenta, e torrentes na terra seca; derramarei meu Espírito sobre sua prole, e minha bênção sobre seus descendentes. (Isaías 44:3)

Mais tarde, o próprio Jesus compara o Espírito Santo à água:

"Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva". Ele estava se referindo ao Espírito, que mais tarde receberiam os que nele cressem. (João 7:38,39)

No encontro com a mulher samaritana, Ele revela algo tremendo! Vejamos:

"mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pelo contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna". (João 4:14)

Assim como manter-se hidratado é essencial ao atleta para o funcionamento dos músculos e seu bom desempenho na competição, nós, discípulos de Jesus, precisamos ser cheios do Espírito Santo para que não nos tornemos terra seca e infrutífera. Precisamos beber diariamente das águas que fluem do trono da graça de Deus.




Todo o funcionamento do nosso organismo depende da água que ingerimos: o funcionamento dos órgãos, transporte de nutrientes, eliminação de substâncias, regulação da temperatura corporal, proteção das articulações, etc. Enfim, o consumo de água é um indicador do nosso estado de saúde. O ser humano pode morrer se passar a partir de 3 dias sem beber água. (fonte: Brasil Escola)

É uma questão de vida ou morte! Assim como a água é fonte de vida no aspecto natural, o Espírito Santo é a fonte que sacia a nossa sede espiritual. Se nos enchermos do Espírito, ficaremos saciados. Se, do contrário, negligenciarmos isso, ficaremos como terra seca, como um atleta que não se hidratou adequadamente e, durante a competição, fica tonto e cai ao chão.

Antes de tudo, é preciso dizer que o Espírito Santo habita em todo aquele que é nascido de novo, ou seja, que se reconheceu pecador e carente da graça de Deus demonstrada através do sacrifício de Jesus:

E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vocês, aquele que ressuscitou a Cristo dentre os mortos também dará vida a seus corpos mortais, por meio do seu Espírito, que habita em vocês.
(...)
Pois vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temer, mas receberam o Espírito que os adota como filhos, por meio do qual clamamos: "Aba, Pai".
(Romanos 8:11;15)

Assim, cada um de nós, ao receber Jesus como Senhor e Salvador nas nossas vidas, passou a ser morada do Espírito Santo:

Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? (1 Coríntios 3:16)

Cremos, portanto, que o Espírito Santo passou a habitar em nós, pela fé em Jesus Cristo. É este mesmo Espírito quem nos convence do pecado (João 16:8). Quando temos um encontro com Jesus, o Espírito Santo é aquela voz interior, que nos faz ficar constrangidos com pecados que antes cometíamos e não nos incomodava. Ele é quem produz em nós o arrependimento, o mal estar diante do pecado, nos ilumina e nos guia em toda a verdade (João 16:13).

Mas, se o Espírito Santo já habita em nós, porque o apóstolo Paulo nos instrui, na carta aos Efésios,  a enchermo-nos do Espírito?

E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito. (Efésios 5:18)

Ora, se já você já teve um encontro real com Cristo, sabe bem que esse encontro, apesar de impactante, não te deixa perfeito da noite para o dia. Como habitantes deste mundo caído, nossa mente e corpo passaram anos recebendo sementes ruins e, por isso, somos acostumados com o pecado e temos a tendência ao mal. Quando Cristo entra em nosso coração, passamos a ter um guia pessoal, o Espírito Santo, que nos conduz pelo caminho da verdade.



Mas ainda temos a opção de sermos guiados pelo Espírito ou continuarmos sendo guiados pela nossa própria vontade. Receber Jesus em nosso coração não nos tira o livre arbítrio. Por isso, precisamos nos encher do Espírito Santo para que as nossas atitudes, pensamentos e escolhas reflitam o que nós somos em espírito, ou seja, novas criaturas (2 Coríntios 5:17), por meio do sacrifício de Cristo Jesus.

É importante entender que o novo nascimento consiste em recebermos um espírito novo, criado à semelhança de Cristo e, portanto, perfeito. Após o novo nascimento, com a ajuda do Espírito Santo, devemos continuamente alinhar nossas vontades, pensamentos e conduta à vontade de Deus, transmitida nas Escrituras. Esse é o processo de santificação. Não quer dizer que seremos perfeitos no corpo e na mente. Mas, como somos perfeitos em espírito (Mateus 26:41), devemos buscar renovar nossa mente e subjugar nosso corpo, tornando-nos cada vez mais parecidos com Jesus. Foi para isso que fomos chamados! Se somos discípulos, devemos andar como o Mestre andou. Para entender mais sobre isso, leia o texto "Espírito, Alma e Corpo - Parte 6 - Árvores Junto a Ribeiros", do Pr. Wendell Costa.

Há um texto do apóstolo Paulo que resume a nossa missão no processo de santificação:

Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12:1,2)

Esse exercício de renovar a nossa mente e sacrificar as vontades de nosso corpo só é possível através da ação do Espírito Santo em nós. Não foi à toa que Jesus comparou o Espírito Santo à água, pois, sem ela, o organismo não funciona direito e, dependendo do tempo sem água, pode entrar em colapso e parar por completo. O Espírito Santo é como água viva, que se torna, dentro de nós, uma fonte a jorrar para a vida eterna e sacia por completo a sede da nossa alma, como Jesus revelou à mulher samaritana (João 4:14).



Quanto mais bebermos da fonte de água viva, mais essa água será produzida em nós e transbordará através de nós. Quanto mais nos enchermos do Espírito Santo, mais visível será a transformação da nossa mente e aquilo que já temos em espírito começará a transbordar através de nossas atitudes, palavras e pensamentos. Passaremos, então, a manifestar o fruto do Espírito, que foi descrito por Paulo:

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. (Gálatas 5:22-23).

No próximo texto, continuaremos esse tema, aprendendo, com a Bíblia, como fazemos para nos encher do Espírito Santo.

Que a maravilhosa graça do Senhor Jesus seja com todos vocês.

Até a próxima!

Bruna Monastirski
Discípula de Cristo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?

A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho