A Parábola do Semeador Parte 1: A Semente



Há alguns anos, tenho meditado na parábola do semeador, e a cada vez que medito, aprendo mais sobre esta rica palavra. É incrível como, através dos ensinamentos presentes nessa pequena passagem bíblica, podemos conhecer o funcionamento de várias coisas no reino espiritual. 

O próprio Jesus chama a atenção para a relevância desse texto:

Então Jesus lhes perguntou: "Vocês não entendem esta parábola? Como, então, compreenderão todas as outras parábolas?" (Marcos 4:13).

Assim, o Mestre aponta que a compreensão da parábola do semeador é a chave para se entender as demais parábolas.

Mas o que são parábolas??

Segundo o dicionário, parábola é uma pequena narrativa que utiliza alegorias (comparações) para transmitir uma lição moral*. As parábolas bíblicas são meios utilizados por Jesus para revelar verdades espirituais, utilizando imagens e elementos da vida cotidiana das pessoas que o ouviam.

Conforme o versículo citado acima, precisamos compreender as verdades espirituais contidas na parábola do semeador para que tenhamos condições de assimilar os ensinamentos contidos nas outras parábolas narradas por Jesus. Logo, entendemos o grande valor desta porção da Palavra de Deus. 

Acredito que você já tenha lido ou ouvido falar sobre esta parábola. No entanto, para o estudo que pretendo desenvolver neste e nos próximos posts, acho válido rever todo o texto:

Então lhes falou muitas coisas por parábolas, dizendo: 
O semeador saiu a semear. 
Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. 
Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, porque a terra não era profunda. 
Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. 
Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas.
Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. 
Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! (Mateus 13:3-9)

Esta parábola é contada também por Marcos (capítulo 4) e Lucas (capítulo 8). Em alguns trechos, percebemos um ou outro evangelista dando ênfase a certos detalhes.

Ao terminar de proferir estas palavras para a multidão, Jesus explica aos seus discípulos o significado da parábola: 

Portanto, ouçam o que significa a parábola do semeador:
Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.
Quanto ao que foi semeado em terreno pedregoso, este é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria.
Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona.
Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é aquele que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera.
E, finalmente, o que foi semeado em boa terra: este é aquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um. (Mateus 13:18-23)

Meditemos um pouco sobre a semente



Vemos que a figura da semente é muito utilizada por Jesus em suas parábolas:

Ele respondeu: "Se vocês tiverem fé do tamanho de uma semente de mostarda, poderão dizer a esta amoreira: ‘Arranque-se e plante-se no mar’, e ela lhes obedecerá." (Lucas 17:6)

Jesus lhes contou outra parábola, dizendo: "O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo. Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi. Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu (...)". (Mateus 13:24-26)

Novamente ele disse: "Com que compararemos o Reino de Deus? Que parábola usaremos para descrevê-lo?É como um grão de mostarda, que, quando plantada, é a menor semente de todas. No entanto, plantada, ela cresce e se torna a maior de todas as hortaliças, com ramos tão grandes que as aves do céu podem abrigar-se à sua sombra". (Marcos 4:30-32)

De fato, a semente é um elemento que está presente em muitas parábolas e há um motivo para isso: Quando Deus concluiu a criação, desde plantas, animais, até o homem e a mulher, ordenou que fossem frutíferos, que se multiplicassem (Gênesis 1).

Todos os seres vivos têm em si a capacidade dada pelo Criador de se reproduzirem. A reprodução é concebível através de sementes. Nas plantas, a reprodução ocorre tanto através da polinização (encontro das células sexuais da planta) como por meio do plantio de sementes, que pode ser feito pelas mãos humanas, por insetos, ou pela ação do vento. Entre os animais e os seres humanos, a reprodução se dá através da união das células masculina e feminina.

Assim, vemos que a capacidade de multiplicar-se é inerente ao ser vivo.




Outro ponto que merece destaque é que cada ser, ao se reproduzir, irá gerar outro de sua mesma espécie. Ou seja, a semente humana gera outro ser humano. Garças geram garças, sapos geram sapos, baleias geram baleias. Se desejo colher milhos, devo plantar grãos de milho. Cada espécie só dá o fruto a ela correspondente. Ninguém, em sã consciência, plantará feijões esperando uma colheita de milho.

Fica fácil entender a questão da semente quando olhamos o aspecto natural das coisas. No mundo espiritual, esse raciocínio não parece tão simples. Pelo contrário, muitas vezes plantamos mentiras, trapaças, e nos surpreendemos quando colhemos o fruto da mesma espécie, como se isso não fosse lógico! Algumas vezes, sofremos por desconhecer a lei da semeadura, segundo a qual tudo o que o homem plantar, ele colherá (Gálatas 6:7). Falei sobre este tema em texto anterior. Para acessá-lo, clique AQUI.

É importante mencionar outra característica da semente. Normalmente, de cada semente são gerados muitos frutos. De uma semente, em geral, não brota apenas uma planta, mas algumas. O ser humano tem a capacidade reprodutiva ampla e um casal, se quiser, pode ter, em média, um filho a cada ano, contabilizando cerca de 20 filhos, considerando a idade fértil da mulher.

Hoje em dia, é incomum um casal ter tantos filhos, mas, na época das nossas avós, não era difícil encontrar famílias numerosas, com mais de dez filhos. Embora, na atualidade, o habitual seja que o casal tenha poucos filhos (média menor que 2 filhos no Brasil), o fato é que a sua capacidade reprodutiva é muito maior. Um animal como o cachorro costuma ter muitos filhotes a cada gestação, em média de 6 a 8 filhotes, chegando a um número maior em raças de grande porte.

O que quero dizer com todos esses dados a respeito da reprodução??

Pretendo chamar sua atenção para o fato de que uma semente, via de regra, produz vários frutos (ou tem potencial para isso). Essa constatação será muito importante quando formos refletir sobre as sementes que temos deixado entrar em nosso coração.

Na parábola do semeador, a semente lançada é a Palavra de Deus:

"Este é o significado da parábola: A semente é a palavra de Deus." (Lucas 8:11).



As Escrituras afirmam, em Romanos 10:17, que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, confirmando, assim, que há uma semente (a Palavra de Deus) que precisa ser plantada (divulgada), para que produza frutos (a fé).

Portanto, a palavra de Deus é a semente lançada e, de acordo com a parábola estudada, dependendo do tipo de solo que encontre, irá produzir resultados diferentes.

Começaremos a falar sobre o solo no próximo texto.

Que a graça e a paz do nosso Senhor Jesus sejam com você.

Bruna Monastirski.
Discípula de Cristo.
















*Fonte: website Significados

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO? Parte 1

O Que Significa "aceitar Jesus"?

A Parábola do Semeador Parte 3: O solo à beira do caminho